ÚLTIMAS GALERIAS
Sementes da Fartura - Fórum Piauiense de Convivência com o Semiárido

27/07/2016 às 09h19min - Atualizada em 27/07/2016 às 09h29min

Sementes da Fartura

A beleza, a leveza, a resistência, fragilidade e também as formas com as quais as sementes se apresentam de acordo com sua constituição para garantir a disseminação na natureza.

Sementes da Fartura

É com a denominação de Sementes da Fartura que as entidades que compõem o Fórum Piauiense de Convivência com o Semiárido estão construído a organização das famílias agricultoras de todo o Estado, em defesa e preservação das sementes. Minha intenção com este texto é ajudar a divulgar esta luta que, começa a ter um rosto e compromisso de muitos. Também mostrar a beleza, a leveza, a resistência, fragilidade e também as formas com as quais as sementes se apresentam de acordo com sua constituição para garantir a disseminação na natureza.


A ciência define sementes como seres vivos (biologicamente ativos) e mesmo depois da colheita continuam respirando, portanto devemos criar as condições ideais para que essa respiração seja a menor possível para que elas não se estraguem durante o armazenamento, pois a respiração acontece com a queima de energia por parte da semente, diminuindo suas reservas. Sendo assim, devemos buscar condições de armazenamento que favoreçam uma redução dessa respiração.


Para a perpetuação das espécies, animais e vegetais, as sementes surpreendem, umas são aladas, isso mesmo, elas voam (aroeira preta, o ipê amarelo, o mufumbo dentre tantas). Ao voar executam movimentos belíssimos, coisas lindas de se ver e admirar. Um conjunto delas são sementes deiscentes, ou seja, abrem-se quando maduros para serem dispersas (sapucaia, feijão, acácia). Inúmeras possuem dormência tegumentar possuem uma “casca dura” (mucunã, mulungu, jurema-rosa, mororó,). Estas para germinar necessitam de se fazer escarificação ou imersão em agua morna.


As sementes são belas, e isso se confirma nas mais variadas formas, cores e traços, algumas sem formas definidas que se costuma dizer parecer com uma orelha humana, com estrelas, com ovos, etc. Na natureza e de forma natural as relações giram em favor da preservação, na caatinga as plantas produzem as sementes antes do período chuvoso para que com a chegada da chuva elas possam ser disseminadas e se reproduzirem.


Mas com a evolução e ocupação humana as sementes estão seriamente ameaçadas e manipuladas pelo lobby do capitalismo frente ao agronegócio. Com toda a beleza, leveza, desuniformidade, resistência, e fragilidade, é urgente consolidar este movimento em defesa das sementes da fartura, também denominado patrimônio genético.


 *João Evangelista Santos Oliveira


 


Coordenador Pedagógico da Cáritas Brasileira Regional PI


Técnico Agrícola e Tecnólogo em  Gestão Ambiental.



AUTOR/FONTE:

Ascom

([email protected])

COMENTE
VEJA +

Entidades do FPCSA

© Copyright 2019 - Todos os direitos reservados

Rua Aguinelo Pereira da Silva, n° 3135 – Bairro São João - CEP: 64045-440

Teresina Piauí - Ascom do FPCSA: 86 9956-1389 / 8156-7556

E-mail: [email protected]

Site desenvolvido pela Lenium